segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Expedição Marrocos 2015 – Segundo Dia

Logo pela manhã nos encontramos na sala do café para nos prepararmos para um longo dia. Enquanto aguardávamos a chegada das viaturas, fomos a um parque de oliveiras dentro de Marrakech e novamente para a praça Jema el Fna (muito mais vazia pela manhã) para algumas compras e para conhecer melhor os labirintos do local. Fomos levados para o coração da praça entre vielas, pequenas lojas e diversas casas. Tivemos um contato muito próximo com os moradores e principalmente com os vendedores, que não medem esforços para apresentar seus produtos.


Fomos a uma loja indicada pelos nossos guias onde encontramos todo o tipo de objeto e roupas típicas do Marrocos. O lado consumista bateu mais forte e a maioria de nós saiu com alguma lembrança. Antes de voltar ao hotel, ainda tivemos tempo de ver as cobras do local – muitos encantadores de serpente são encontrados ao largo da praça, mas qualquer interação com os animais requer gorjetas – e comprar frutas secas nas barracas típicas.



De volta ao hotel, nos deparamos com nossas viaturas. Os carros foram adesivados para a expedição com nossos apoiadores Power Offroad e Bestshop Brasil, além da Offroad Travel e é claro do Brasil Fora de Estrada. Com eles preparados e toda a papelada da locação assinada estávamos prontos para cair na estrada.



O trânsito de Marrakech é realmente maluco, com bicicletas, motos de todos os lados e carros que não esperam para ultrapassar ou entrar na sua frente. Seguindo nosso guia não tivemos dificuldade para sair da cidade e abastecer nossos carros, mas se ocorre-se um acidente não iria nos assustar.


Seguimos sentido o Atlas e antes de começar nossa súbida paramos para um pique-nique tipicamente português, com deliciosos petiscos trazidos pelos nossos guias. Todos se alimentaram bem para o início da estrada.



A subida é realmente de impressionar. A paisagem com picos nevados e uma vegetação bem difente da que estamos acostumados revela um novo mundo. A cada quilômetro que subíamos o ar ia ficando mais gelado, e nem parecia que estávamos na África. Paramos no local mais alto da nossa estrada, o Tzin Addou, com seus 2.260 metros de altitute. O frio era intenso e ficamos pouco, somente para apreciar um pouco a vista e já seguimos na estrada, dessa vez para o outro lado do Atlas.



Nesse ponto a paisagem muda, com uma cara mais desértica e muito pedregosa. A arquitetura das casas muda também, com uma aparência mais rústica e muito mais simples das encontrada perto de Marrakech. Pegamos a trilha Telouet que a pouco tempo foi asfaltada e vimos os resquícios dos tempos que as comunidades eram mais isoladas, muitas casas sem energia e um povo simples, curioso e divertido.




Belíssimas paisagens com um por do sol iluminando as rochas foi um presente no final do dia. Mais alguns quilômetros pela noite e chegamos a nosso destino de hoje, Kasbah ait Ben Addou. Como chegamos a noite, não conseguimos ver o porque dessa cidade ser um patrimônio mundial, mas amanhã as primeiras horas de sol prometem mais visuais deslumbrantes.


Nosso hotel foi mais uma experiência nova. O Riad Maktoub possui um pátio interno muito tradicional nas culturas islâmicas que impressiona pela beleza. Infelizmente não teremos tempo de apreciar a piscina, mas fica para a próxima. Serão tantos lugares para visitar que acordar cedo para cair na estrada não será um problema. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário