quarta-feira, 23 de julho de 2014

Lançamento do Novo Troller T4 - Análise Completa


Fomos convidados pela Troller para viajar à Fortaleza e acompanhar o lançamento do novo Troller T4. Foi um evento de 2 dias que contou com a presença de clientes, imprensa, concessionários e uma grande equipe da Troller/Ford.

O lançamento não foi só do carro, e sim da Troller como um todo. Após 7 anos da aquisição, a Ford profissionalizou a empresa e entregou um novo conceito de produto. A fábrica foi completamente reestruturada para acompanhar esse avanço da companhia.

Foram dias de contato com todo o corpo diretor da empresa e com diversas figuras do mundo Troller.



A apresentação aconteceu em um resort em Fortaleza/CE. Foi explicado o porque da escolha do design, parte técnica e mercadológica que a Troller pretende seguir a partir de agora.

A fábrica na cidade de Horizonte foi completamente remodelada. Tivemos a oportunidade de passear pela fábrica e conhecer os novos processos de construção do carro. Participamos também da cerimônia de lançamento oficial.


Tivemos bons dias em Fortaleza, mas o momento mais esperado era mesmo o de finalmente andar no novo Troller T4.

Primeiramente, o carro foi feito para o fora de estrada. Muitos podem achar que o seu visual ficou muito parecido com outros modelos da marca Ford (como a EcoSport), mas isso provavelmente acontece porque o design saiu do Centro de Design e Engenharia de Camaçari/BA (Ford). João Marcos Ramos, designer chefe do projeto, explicou que não só o visual foi levado em conta, mas também a eficiência para o fora de estrada. O veículo foi imaginado para transmitir força e proteção, mantendo algumas características do antigo T4.


A facilidade de troca das peças foi levada em consideração, já que a grande maioria dos consumidores da Troller gosta de customizar o seu carro. Por sinal, isso foi uma das grandes novidades do novo modelo. Mais de 130 itens estarão disponíveis nas concessionárias para que o cliente possa customizar seu carro sem perder a garantia, que agora é de 3 anos. Essa é uma das novas filosofias da Troller, fidelizar cada vez mais o cliente. Customizações fora das concessionárias continuarão perdendo a garantia. Novas cores serão usadas para o novo T4 e o interior ganhou tons de cinza com luzes azuis, trazendo mais modernidade. O interior continua lavável e dispensa dreno, pois os batentes das portas são mais baixos.



Essa nova filosofia da Troller veio também com o investimento fisico e de pessoal nas concessionárias da marca. Todas agora terão o mesmo padrão de serviço e terão um olhar mais preocupado com o pós venda. O pessoal do norte do Brasil pode se preparar, falei com o Wilson Vasconcellos Filho, gerente de Vendas, Marketing e Serviços, e ele me garantiu que estão estudando e capacitando revendedores no norte do país para muito em breve abrir concessionárias por lá.

Alguns dos acessórios fora de estrada foram mostrados durante a apresentação. Serão duas linhas de acessórios, a Regular e a Extreme. Protetores inferiores de aço de 3.2/4.5mm estarão disponíveis para proteger cárter, transmissão, diferenciais, enfim, toda a parte inferior do carro. Os para-choques poderão também ser trocados. A expessura do para-choque fora de estada é de aproximadamente 3mm. Guinchos Warn de 8.000lbs estarão disponíveis (ele pode ser instalado no para-choque original). Dois tipos de pneu serão colocados a disposição para troca (ele vem de fábrica com um 255/65 R17), um all-terrain 245/70 R17, ou um mud 245/70 R17 (80% off-road/20% on-road). Snorkel, bagageiro, quebra-mato e estribo de metal também estão no pacote. 



O ângulo de entrada foi aumentado em 1 grau (para 51 graus) e o ângulo de saída melhorou 14 graus (igualando o de entrada, com 51 graus). O utilitário também ganhou 1 grau no ângulo de transposição de rampa, que agora é de 30 graus. Ele suporta também aclive máximo de 45 graus, inclinação lateral de 40 graus e imersão em profundidade de até 800 milímetros. O diferencial traseiro é autoblocante, com bloqueio Trac-lock. O chassi tem perfil retangular fechado, a estrutura é metálica tubular e a suspensão tem eixos rigidos com diferenciais Dana 44 na dianteira e traseira.

Os air bags foram colocados em pauta, mas não estarão disponíveis. Fora de estrada não precisa ter air bag. Segundo o artigo 4˚ da resolução 311 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), os caracterizados como fora de estrada, como o T4, estão livres da obrigação.


Com tudo isso na cabeça, fomos fazer o test-drive (após conhecer e participar da reinauguração da fábrica). O primeiro teste foi normal, com três pessoas por carro fazendo o trajeto da fábrica até o hotel que estávamos hospedados. Teste bom para sentir o carro no asfalto (?!). Apesar de ser um projeto completamente novo, o carro parece bastante o antigo. A suspensão é dura e não foi pensada para trabalhar na cidade, o que é ótimo para um jipe. O ruído interno é consideravelmente menor e ele ficou mais amigável no painel, com novos comandos, ar-condicionado digital dual zone, computador de bordo, bancos mais confortáveis e outras perfumarias, mas não pense que virou um carro de shopping. A embreagem continua dura, o câmbio tinha uma leve folga e senti ele mais pesado. Os materiais da cabine não são os de melhor qualidade, mas me pareceram duráveis. Não gostei da posição do pedal do acelerador, está muito próximo do pedal do freio, mas logo me acostumei e na segundo volta nem senti a proximidade.

Agora, a melhor parte é o motor. A Ford acertou na nova motorização (torço para que não tenha nenhum problema como os antigos T4 3.2). O 5 cilindros de 200 cavalos é forte. Jogamos o carro na areia e não tive a menor dificuldade (mesmo sabendo que a calibragem dos pneus que colocaram para nós estava maior do que a ideal). Todas as pessoas que eu conversei sobre o motor me falaram que aprovaram. A potência que ele joga nas rodas parece ser o suficiente para mover as duas toneladas e meia do carro. A velocidade máxima seria de 180km/h, mas foi limitada a 165km/h.


Não é mais preciso acionar a roda livre na roda. Ele também possui agora o “shift on the flight”, sistema de seleção do modo 4x4 high em movimento a até 120km/h. Um desenho aparece no painel mostrando que você está no 4x4. Isso pode ser um problema para as trilhas mais extremas.

As portas tem um encaixe pior que o antigo T4 (precisa bater forte a porta, e muitas vezes fica aberta) e eu notei um ponto cego na coluna traseira. Senti que os freios respondem melhor que o antigo.

Andei um trajeto pela cidade de Fortaleza (com trânsito) e um trajeto pela estrada e pelas dunas. Definitivamente é um carro para o fora de estrada. A Troller até quer aumentar seu público feminino, mas acho que não vai ser com esse carro. Ele é pesado e nada gentil. Quem esperava um carro para o dia-a-dia pode se decepcionar (ou se alegrar).


Pensando em tudo isso, acredito que a Troller deu um passo a frente. O novo T4 é melhor que o antigo e pode nos trazer bons momentos nas trilhas. Claro que precisamos testar mais o carro (principamente no fora de estrada) para tirar melhores conclusões, mas acho que ele nos trará boas alegrias. Ele começa a ser comercializado após o dia 15 de agosto. O preço subiu - R$110.990 (acréscimo de cerca de mais 15% com os acessórios fora de estrada) - mas eu entendo que seja para agregar mais valor ao novo carro.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Modelo:               Utilitário T4 2015              
Carroceria:          compósito especial SMC              
Chassi: longarinas de perfil retangular  
No portas:                        3             
No passageiros:                5             
Tração: 4x4 part time com reduzida        
Direção:               hidráulica de esferas recirculantes          
Embreagem:      monodisco seco, acionamento hidráulico, 273 mm
Bateria:                12 V, capacidade 65 Ah
Alternador:         14 V, capacidade 110 A

Motor:  Ford Duratorq 3.2 L 20V Diesel  
Combustível:     Diesel S10           
Disp. cilindros:   5 em linha          
Válvulas:              20          
Admissão de ar:                turbo VNT Intercooler  
Injeção:                eletrônica – Common Rail Piezoelétrico
Diâm. cilindro:   89,90 mm           
Curso êmbolos:                100,76 mm         
Cilindrada:           3.198 cm3           
Torque:                470 Nm @ 1.750-2.500 rpm         
Potência:             200 cv (147 kW) @ 3.000 rpm     
Rot. marcha lenta:           800 ± 150 rpm   
Rotação máxima:             4.900 rpm           
Taxa compressão:            15,5:1 ± 0,5        

Transmissão                                      
Tipo:      manual mecânica            
No. marchas:     6 à frente e 1 à ré            

Relações de transmissão:                                            
1ª:          5,441:1 
2ª:          2,839:1 
3ª:          1,721:1 
4ª:          1,223:1 
5ª:          1,000:1 
6ª:          0,794:1 
Ré:         4,935:1 
Rel. final:             3,31:1   
Relações de transferência
Normal:                1,000:1 
Reduzida:            2,720:1 
Rel. diferencial: 3,31:1   

Pesos e Rendimentos                                   
Peso em ordem marcha (kg):                                    
Total:                 2.140
Dianteira:            1.091    
Traseira:             1.049    
Carga útil:            420        
Peso Bruto Total:               2.560    
PBT Combinado:               5.100    

Massa máxima indicada nos eixos (kg):                                 
Dianteiro:             1.279    
Traseiro:              1.385    
Cap. máx. reboque sem freios:    750        
Cap. máx. reboque com freios:  2.400    
Carga máx. bagageiro teto:          150        

Tanque de combustível (L):         62          

Consumo de combustível (km/l)
Urbano:               8,85 (NBR 6601)               
Rodoviário:         11,93 (NBR 7024)             
Aceleração 0–100 km/h:               12,3 s    

Nível de ruído dB(A)
Marcha lenta:    50,7
Cruzeiro (120 km/h)        74,2       

Nível de emissões:          Proconve L6      

Freios                                   
Servofreio:         10"
Cilindro mestre:                22,2 mm              
Circuito hidráulico:           duplo independente com ABS e EBD      
Freios dianteiros:             disco ventilado, 302 mm
                área disco: 402,19 cm²/ área pastilhas: 76 cm²    
Freios traseiros:                disco rígido, 305 mm
                área disco: 356,3 cm²/ área pastilhas: 50,25 cm² 
Estacionamento:              acionamento anual, atuação nas rodas traseiras

Suspensão
Dianteira:            eixo rígido, com barra estabilizadora e barra panhard, molas
                helicoidais, amortecedores hidráulicos de dupla ação, eixo
                flutuante Dana 44-3
Traseira:               eixo rígido, com barra estabilizadora e barra panhard, molas
                helicoidais, amortecedores hidráulicos de dupla ação, eixo
                semiflutuante Dana 44-4


Rodas:  liga leve 17"x8"
Pneus:  255/65 R17 (70% on-road/ 30% off-road)              


Dimensões (mm)
Entre-eixos:       2.585    
Comprimento total:        4.095    
Largura com retrovisores:            1.977    
Altura com bagageiro:    1.966    
Balanço dianteiro:            600        
Balanço traseiro:              655 (s/ estepe)
Bitola do eixo dianteiro:                1.565    
Bitola do eixo traseiro:   1.565    
Vão livre solo sob os eixos:        227 (dianteiro) 208 (traseiro)     
Vão livre solo no entre-eixos:     316        

Capacidades
Ângulo de entrada:           51º        
Ângulo de saída:               51º        
Ângulo transposição rampa:        30º        
Inclinação lateral máxima:            40º        
Rampa máxima:                45º        
Travessia na água:           800 mm               
Raio de giro mínimo:       6.350 mm           

Dimensões internas (mm)
Espaço pernas dianteiro:       1.054    
Espaço cabeça dianteiro:        960        
Espaço quadris dianteiro:      1.395    
Espaço ombros dianteiro:      1.460    
Espaço pernas traseiro:           794        
Espaço cabeça traseiro:          965        
Espaço quadris traseiro:        1.290    
Espaço ombros traseiro:        1.378    

Porta-malas
Largura máx.:     1.208 mm
Largura mín.       1.163 mm
Altura do assoalho ao teto:          900 mm
Volume com bancos posição normal:      134 L/ 159 L (até o teto)
Volume com banco traseiro rebatido:     558 L/ 950 L (até o teto)

4 comentários:

  1. Meu chega inicio de agosto, Verde Moragogi.

    ResponderExcluir
  2. Fiz um Test Drive e achei o novo T4 bem legal, exceto pelo Câmbio que não gostei.
    Ricardo

    ResponderExcluir