sexta-feira, 18 de abril de 2014

Glossário

#

- 2WD: Ou Two Wheel Drive, significa que o veículo tem tração em apenas duas rodas. Esta configuração equipa a grande maioria dos veículos, quando o sistema de tração é instalado no eixo traseiro ou dianteiro.

- 4WD: Ou Four Wheel Drive, significa que o veículo tem tração nas quatro rodas. Esta configuração equipa todos os veículos 4x4, utilitários ou SUVs. Em alguns modelos se pode engatar a tração 4x4 a partir da roda livre e alavanca, ou através de comando elétrico no painel. A maioria tem tração permanente na traseira e opcional na dianteira, exceção para o Honda CVR que traciona normalmente na dianteira e aciona o eixo traseiro quando necessita de mais tração.

- 4X4 HI: Engatar a Tração 4x4 HI (High = Alta), significa colocar acionar a tração nas quatro rodas para trânsito em alta velocidade. Com esta configuração é possível rodar em velocidades normais em estradas de terra e com baixo atrito. Veículos equipados com diferencial central podem trafegar em 4x4HI em qualquer tipo de terreno.

- 4x4 L: Engatar a Tração 4x4 L (Low = Baixa/Reduzida), significa acionar o sistema de redução da caixa de transferência para condução em baixas velocidades. Esta configuração é necessária para transpor a maioria dos obstáculos encontrados em situações fora de estrada.

- 6x6, 8x8: Configuração encontrada em caminhões militares e para serviços muito especiais. Os 6x6 tracionam com as seis rodas, e em certos casos podem tracionar somente em 6x4, quando somente as rodas traseiras oferecem tração. Já os veículos 8x8 são utilizados para transporte de artefatos militares como mísseis e cargas extremamente pesadas. Em alguns modelos essa configuração possibilita a direção nos dois eixos dianteiros.

A

- ABS - Anti Blocking System: Sistema de freio anti-bloqueio, que impede o travamento das rodas. Ao se pisar no pedal de freio, o sensor eletrônico aciona o sistema de freio de maneira pulsada, impedindo o travamento das rodas e possibilitando melhores condições de controle da direção. Alguns modernos SUVs já utilizam o ABS para controlar a tração, veja o ETC e ETS.

- Active Trac: Sistema de tração 4x4 desenvolvido pela Mitsubishi, e que equipa os modelos Pajero. O equipamento permite o acionamento de 4x2 para 4x4 em velocidades de até 80 Km/h. Possui diferencial central que possibilita o deslocamento em qualquer tipo de terreno, seja liso ou com aderência plena (asfalto). Pode ainda ter o diferencial central bloqueado, para melhor distribuição de torque entre os dois diferenciais.

- Alargador de Roda: "Aumentam" o comprimento do eixo e acrescentam massa significativa às pontas de eixo; por isso, criam um ponto de tensão maior nas extremidades provocando um desgaste maior de rolamentos e buchas e ainda com risco de quebra da ponta de eixo.

- Altura Máxima: É a máxima altura do solo que o veículo possui. A medida pode ser feita a partir da parte mais baixa do veículo como o diferencial. A média entre os utilitários e SUVs é de 22cm. O Hummer H1 por exemplo tem mais 40cm de altura máxima do solo.

- Alternador: Trata- se um gerador de corrente alternada que é transformada em corrente contínua por componentes eletrônicos e é acionado por uma correia ligada ao motor. A da bateria é recarregada graças ao seu funcionamento, com isso, ela fornece a energia que alimenta faróis, lanternas, ar-condicionado, vidros elétricos, rádio e CD player e outros acessórios elétricos no veículo.

- Amortecedor: Equipamento que integra o sistema de suspensão do automóvel. Instalado junto com as molas em cada uma das rodas, compensa o balanço, absorve as oscilações da carroceria e é responsável por manter as rodas do carro sempre em contato com o chão diante das diferentes superfícies e irregularidades que podem surgir na via.

- Ancoragem: técnica usada para criar um ponto de apoio para colocação de cabos de aço, cordas ou cintas, para dar suporte em operações de resgate. A ancoragem pode ser feita em árvores, rochas ou outros veículos.

- Ângulo de Ataque: É o ângulo que determina a aptidão do veículo para abordar um degrau mais proeminente, sem bater componentes da suspensão ou pára-choque. Um bom veículo fora de estrada tem ângulo de ataque de no mínimo 30 graus.

- Ângulo de Dorso: Quanto maior o entre-eixos, menos o ângulo. Para ser um fora de estrada, este ângulo deve ser no mínimo de 20 graus. Altura da carroceira em relação ao solo também é importante para melhorar a característica. Uma das modificações mais executadas nos Jeeps antigos é a inversão dois eixos, que são retirados de cima do feixe de molas e colocados por baixo, aumentando a altura do chassi e melhorando muito o ângulo de dorso. Quanto mais alto o chassi, menor é a estabilidade e menor é a inclinação máxima lateral antes de capotar. Ver “Transposição Central”.

- Ângulo de saída: É o ângulo que determina a aptidão do veículo para sair de um obstáculo sem que o chassi ou pára-choque traseiro, encoste no terreno. A instalação de engates de reboque normalmente piora o ângulo de saída. Um bom veículo fora de estrada tem ângulo de saída de no mínimo 30 graus.

- Ar- Condicionado: Aparelho que muda a temperatura e a umidade de um ambiente dentro de limites prefixados. Possui um filtro para eliminar impurezas vindas do ar externo. Em veículos 1.0 com ar-condicionado instalado de fábrica, sistemas desativam momentaneamente o aparelho, canalizando toda a potência possível para o motor em ultrapassagens, por questão de segurança. Todo ar-condicionado retira de 7,5 a 15 cavalos de potência do motor.

- Articulação: Flexibilidade é a chave para uma boa articulação. Quanto mais uma roda pode se mover para cima ou para baixo, maior é a possibilidade de manter tração em pisos acidentados.

- Articulação de eixo: Habilidade do eixo se mover em relação ao chassis. Habilidade de reter tração em terrenos de difícil acesso.

B

- Backspace: É a medida entre o assentamento da roda e a sua borda traseira. Esta medida, indica se existe espaço livre entre a roda e os componentes internos da suspensão.

- Barra Estabilizadora: Também conhecida como rolling, limita a inclinação lateral do carro nas curvas. Com o auxílio dessa barra, a suspensão pode ser mais macia e, consequentemente, fornecer maior conforto sem comprometer a estabilidade do veículo nas curvas.


- Beadlock: é um dispositivo mecânico que segura a borda de um pneu junto com a roda de um veículo. Pneus e rodas são concebidos de modo que, quando o pneu é inflado, a pressão dos pneus empurra o banda do pneu contra o interior do aro da roda, de modo que o pneu permanece na roda e os dois rodem em conjunto. Em situações em que a pressão dos pneus é insuficiente para manter a banda no lugar, é necessária um Beadlock.

- Bloqueio de Diferencial ou Bloqueio: componente mecânico opcional que pode ser instalado no diferencial traseiro, o que é mais comum, no dianteiro, ou em ambos. A função é anular o efeito do diferencial, possibilitando que a transmissão envie torque igual para as duas rodas, o que facilita a abordagem de obstáculos mais radicais. Deve ser usado somente nessas situações, e sempre desligado quando se voltar a transitar normalmente em piso com atrito.

- Bobina: Componente do sistema elétrico que gera uma corrente de alta tensão a partir da menor corrente de energia contínua da bateria para o distribuidor, que se encarrega de fornecer a faísca necessária para iniciar a combustão da mistura ar e combustível no interior do motor.

- Bomba de água: Presente nos os motores refrigerados a água, é o equipamento que faz o líquido se movimentar pelo motor para resfriá-lo. Retira o fluido quente do bloco e o leva para o radiador, que tem a função de resfriá-lo. Faz funcionar o alternador.

- Bomba de Combustível: Equipamento que leva o combustível até o motor pela linha de alimentação. A movimentação de uma membrana elástica chamada diafragma dentro da bomba produz a sucção que impulsiona o combustível para o carburador, se for o caso, ou para o sistema de injeção. Existem dois tipos de bomba: a elétrica e a mecânica.

C

- Caixa de Transferência: Situa-se ao lado da caixa de marchas e possibilita a transmissão de torque para o eixo dianteiro e traseiro além de proporcionar a redução da marchas.

- Calço Hidráulico: Acontece quando o motor aspira água pela entrada de ar ou pelo escape. Na tentativa de comprimir a água nos cilindros, danifica peças vitais como bielas, comando de válvula e até mesmo o bloco do motor. Para evitar esse desastre, é fundamental a instalação de um snorkel, ou tomada de ar elevada. Pode acontecer com qualquer veículo, 4x2, 4x4, carro de passeio, caminhão, etc.

- Cambão/ Tow-bar: Estrutura triangular com engate que é instalada no chassi (ou pára-choque) na frente do veículo. Serve para rebocar o carro sem ter a necessidade de alguém dirigir o veículo rebocado.
Carburador: Dispositivo que regula a mistura ar/combustível na dose certa para o motor. Nos carros mais modernos, foi substituído pela injeção eletrônica.

- Cáster: Esse ângulo descreve a inclinação das rodas da frente, quando vistas lateralmente, em movimento, do ponto mais baixo ao mais alto da suspensão - na verdade, é o ângulo entre uma linha vertical e o eixo de direção. Como ocorre com as cadeiras de escritórios e carrinhos de supermercado, que usam rodinhas para se mover mais facilmente, um alto grau de castor em um veículo faz com que as rodas se endireitarem mais rapidamente.

- Chassis: Esse termo aplica-se aos elementos estruturais do veículo ou ao conjunto de componentes mecânicos ligados a seu quadro. Em veículos com monocoque, o chassis abrange tudo; excetuando as chapas parafusadas na carroceria do carro. Em veículos com quadro separado, o termo "chassis" aplica-se em geral ao quadro.

- Chassis Ladder Frame: Uma moldura desse tipo é como uma grande escada. Dois grandes "trilhos" paralelos com barras transversais conectando-os. Esse tipo de estrutura é usada em alguns veículos 4x4. Entretanto, existem diferenças na forma, estrutura e espessura dos seus diversos componentes.

- Construção monobloco: É um tipo de carroceria que não necessita de um quadro (chassis) separado para dar força estrutural ou suporte aos componentes mecânicos do veículo. Um monobloco usa muitos elementos estruturais fortes, mas leves, como parte integral de sua construção.

- Cilindros de Válvulas: Aberturas no bloco do motor nos quais os pistões deslizam, subindo e descendo de acordo com a explosão e o movimento do virabrequim. As válvulas de admissão e de escape servem para permitir a entrada da mistura ar/combustível e deixar sair os gases resultantes da queima dessa mistura, respectivamente.

- Cinta: Normalmente de nylon, a cinta é um acessório útil em operações de ancoragem do veículo, pois permite a fixação do cabo de aço em uma árvore sem comprometer o tronco. Muitos desavisados prendem o cabo de aço direto na árvore, o que pode danificá-la ou até mesmo matá-la. A cinta também é muito útil para prender um cabo de aço em um veículo sem pontos de ancoragem.

- Comando de Válvulas: Eixo controlador do movimento das válvulas de admissão e escape. Acionado pelo virabrequim, através da correia dentada, engrenagens ou corrente, possui excêntricos que determinam precisamente qual válvula deve abrir ou fechar naquele instante, obedecendo a uma sequência correta.

- Command Trac: É outro sistema de tração 4x4 que a Chrysler desenvolveu para sua linha Jeep. Este modelo é o part-time 4WD, que significa que seu proprietário só deve utilizá-lo para tração 4x4, quando estiver trafegando em terrenos difíceis e que ofereçam deslizamento em curvas. A caixa também permite o acionamento para 4x4 em pleno deslocamento.

- Control Trac: Tipo de tração integral 4x4 utilizado nos modelos da Ford, como o Explorer. É composto de circuitos eletrônicos que detectam deslizamento nos diferenciais, e equilibra o torque para a melhor situação de tração. É equipado com marchas reduzidas, quando tem seu diferencial central bloqueado. Pode ser utilizado em 4x2.

D

- Degrau: É a capacidade de um 4x4 atacar um obstáculo vertical (como um meio fio) e superá-lo. Para ser um fora-de-estrada, o mínimo é de 36 centímetros, sem que o pára-choque dianteiro, carroceria ou suspensão batam. Para superação de um obstáculo destes é necessário bom ângulo de dorso e de saída.

- Diferencial: É um componente que faz os eixos das rodas motrizes se movimentarem em velocidades diferentes. É composto de engrenagens cônicas, coroas e satélites que se interligam criando a geometria de raios menores e maiores que possibilita o giro do carro, amenizando também o desgaste dos pneus. Os veículos 4x4 possuem dois diferenciais, um no eixo traseiro e outro no dianteiro.

- Diferencial Central: Componente que fica instalado na caixa de transferência e compensa, nas curvas, as diferenças de percurso do eixo dianteiro e traseiro. Pode ser bloqueado para travessia de obstáculos em trechos fora de estrada. Equipa todos os utilitários e SUVs com tração integral, como a linha Land Rover e Mitsubishi Pajero respectivamente.

- Diferencial de escorregamento limitado (Torsen): Esse diferencial tem um mecanismo que limita a diferença de velocidade entre as duas saídas. Um diferencial de escorregamento limitado garante que algum torque seja sempre distribuído para ambas as rodas, mesmo com pouca tração. Sistema usado do New Range Rover.

E

- EAS - Eletronic Air Suspension: Sistema de suspensão eletrônica a ar, desenvolvido pela Land Rover e que equipa os modelos Range Rovers. Uma central eletrônica controla a pressão de ar proveniente de um compressor e reservatórios, regulando a altura do veículo de acordo com o terreno a ser enfrentado.

- Eixo: Conponente inteiriço e rígido da suspensão que une rodas opostas

- Eixo cardã: O eixo cardã transmite tração da transmissão para o diferencial. Um veículo 4x4 tem pelo menos dois eixos cardã - um em direção ao diferencial frontal e outro ao diferencial traseiro.

- Eixo Flutuante: Sistema de eixo que tem um sistema de rolamentos que sustenta o peso do veículo. Caso a ponta de eixo se quebre, o sistema mantém a roda no lugar, e é possível rodar com o veículo utilizando a tração dianteira.

- Eixo progressivo: Eixos progressivos transferem torque entre rodas de um mesmo eixo progressovamente, para maior ganho de tração

- Eixo Rígido: Eixo que sustenta as rodas e os diferenciais.

- Eixo Semi-Flutuante: Neste caso a ponta de eixo está conectada diretamente na roda. Se a ponta de eixo quebrar, vai soltar a roda que cairá, deixando o veículo paralisado até a troca da ponte de eixo.
Espaçador

- ETC - Electronic Traction Control: Este controle de tração foi desenvolvido pela Land Rover para equipar os Range Rovers sendo agora usado também da Discovery. O monitoramento eletrônico detecta se alguma das rodas traseiras começa a patinar, acionando então o freio ABS da roda que patina e enganando o diferencial, que envia torque à outra roda que tem condições de tracionar o veículo. É um recurso semelhante ao Selec Traction da Gurgel só que mais moderno.

- ETS - Electronic Traction System: Similar ao modelo da Land Rover, foi desenhado pela Mercedes para equipar os modelos da série M. A diferença é que o ETS equipa as quatro rodas e não somente as traseiras como nos Range Rovers.

F

- Facão: nome popular para erosão ou valeta mais profunda. O facão pode se formar por ação natural ou ser provocado pelo trânsito de veículos, que cavam inicialmente a canaleta com os pneus, deixando o local propício para formação de erosões pelo efeito da chuva. Os pneus conhecidos como "frontiera" são os campeões desse tipo de agressão ao ambiente, e são conhecidos como anti-ecológicos pelos estragos que causam.

- Feixe de molas: É uma peça de aço (ou uma liga) longa, chata e flexível, curvada em um arco, que se flexiona quando forças agem sobre ela. Feixes de molas, geralmente usadas em pick-ups, são montados em eixos sólidos nos veículos.

- Full-time 4WD - Tração 4x4 integral: Recurso disponível em veículos equipados com diferencial central, que permite a utilização da tração 4x4 até em rodovias. Modelos como o Mitsubishi Pajero e os Jeeps Cherokee possuem este recurso e podem ainda rodar em 4x2, já os Land Rovers e o Niva por exemplo, transitam com tração nas quatro rodas permanentemente.

- Freios a disco: Esse tipo de sistema de freio consiste em um disco que gira à mesma velocidade que a roda a qual está ligado.

- Freio a tambor: Um freio a tambor usa um invólucro em forma de tambor, geralmente feito de aço fundido, que é conectado à roda e gira com ela. Dentro do tambor, há sapatas curvas que são friccionadas ao tambor interno para brecar. Freios a tambor são simples e muitas vezes eficazes, mas menos eficientes que os freios a disco em uso pesado ou solo molhado. No contato com a lama as lonas se desgastam rapidamente, exigindo verificação imediatamente após uma trilha.

- Freio-motor: recurso que usa o motor e marchas reduzidas para frear o deslocamento do veículo. Usado em descidas íngremes nos deslocamentos por trilhas e no dia a dia nas rodovias em descidas de serras.
Ganchos de reboque: Forjados em aço de alta resistência, são utéis para rebocar outros carros ou retiram um carro de uma situação difícil.

G

- Guincho: Equipamento fundamental para incursões radicais. As versões disponíveis no mercado são três: mecânico, hidráulico e elétrico. Este último é o mais popular, já que pode ser instalado na dianteira ou traseira de qualquer veículo, e depende da bateria para funcionar.

H

- Hi-Lit: Macaco ideal para uso em trilhas. Pode levantar um veículo até 1,6 metros, facilitando operações de resgate e manutenção, além de poder ser usado como guincho.

- Homocinética: A homocinética é um eixo articulado e rotatório usado em suspensões independentes para transmitir tração de um diferencial para uma roda.

I

- Inclinação da roda (câmber): Em uma visão frontal do veículo, a inclinação da roda é o ângulo do pneu/roda comparado a uma linha vertical ortogonal. Quando o topo das rodas da frente está inclinado para dentro, a inclinação do veículo é positiva; quando é para fora, a inclinação é negativa.

- Inclinação Lateral: É a aptidão do veículo para abordar um trecho inclinado sem tombar. Na verdade os utilitários e SUVs 4x4 não são os mais capacitados para essa manobra, pois são mais altos que os carros de passeio. Esta característica varia muito entre os modelos de 4x4 e é sempre recomendável que o condutor conheça este limite.

- Insta Trac: é o nome do sistema usado pela Chevrolet em alguns modelos fabricados no Estados Unidos. Equipa pick-ups como as Blazers, e é um sistema Part Time 4x4, o que significa que não deve ser utilizado em asfalto ou outro piso de aderência plena. Permite a mudança de 4x2 para 4x4 em pleno movimento, e conta com marchas reduzidas.

J

- Junta Homocintética: A junta homocinética é usada para unir os semi-eixos às rodas estressantes nos carros que possuem tração dianteira. Sua articulação angular permite a movimentação das rodas de maneira uniforme.

L

- Low Lock: Todos os sistemas 4x4 integrais e a maioria dos sistemas 4x4 permanentes competitivos bloqueiam o diferencial central quando se engata o Low Range (sistemas parciais não têm diferencial central e acabam de fato ficando bloqueados em 4x4 High e 4x4 Low). A suposição é a de que, quando em 4x4 reduzida, você quer a tração extra de um diferencial central bloqueado. Entretanto, bloquear o diferencial central limita o Low Range ao uso off-road.

M

- Mola helicoidal: Responsáveis pela sustentação do peso do carro, passageiros e bagagem, absorvem as irregularidades dos terrenos, uma vez que interligam a parte suspensa do carro com a suspensão. A mola é construída em aço especial na maioria delas em forma elástica espiral. Com o veiculo em movimento, todas as oscilações da pista são absorvidas pela mola. Sendo assim, uma lombada causa o fechamento (a mola absorve energia) enquanto que um buraco provoca abertura. A energia causada no fechamento ao ser liberada será controlada pelo amortecedor, suavizando assim os movimentos de retorno recebidos pela suspensão. Desta forma, se as molas não estiverem em boas condições de uso, o conforto, estabilidade e segurança ficam seriamente comprometidas.

- Multilinks, wishbones: Esses termos referem-se aos diversos componentes da suspensão, que determinam a posição das rodas e eixos e restringem seus movimentos para melhor tração e dirigibilidade. A complexa relação entre os componentes da suspensão quando se movem é chamada de geometria da suspensão.

O

- Offset / ET: É a distância entre a superfície de assentamento da roda e o meio da tala. Todas as rodas têm um off-set, mesmo que seja igual a zero. A instalação de uma roda com o off-set adequado é muito importante, ele mantém a boa dirigibilidade do veículo, evita desgaste prematuro dos pneus e dos componentes da suspensão.

- Off-set Positivo: significa que a superfície de assentamento está mais próxima a borda dianteira do que da borda traseira, logo a sua borda dianteira tende a ficar mais para o lado interno do paralama. Esse tipo de off-set é normalmente utilizado em veículos de passeio e pick-ups leves que derivam desses veículos.

- Off-set Negativo: significa que a superfície de assentamento está mais próxima a borda traseira, logo a borda dianteira tende a ficar mais para fora do paralama. Esse tipo de off-set é normalmente utilizado em pick-ups de porte maior, tais como, F1000, D20, Silverado, F250.

P

- Part-Time 4WD: A caixa de câmbio não possui diferencial central, e para estes veículos a tração 4x4 deve ser usada somente em situações fora de estrada, evitando o asfalto e estradas de terra muito boas, em altas velocidades. Alguns veículos com este sistema são os Toyota Bandeirante, Nissan Pathfinder, Jeep CJ, JPX, Suzuki Samurai, pick-up Frontier Nissan, pick-up L-200 Mitsubishi, Troller.

- Patesca ou Catarina: Componente indispensável para quem vai a uma trilha. É uma roldana ou polia que usada em conjunto com o guincho ou mesmo entre dois veículos, permite que a força empregada no resgate seja duplicada. Também é muito útil para redirecionar o cabo de aço em resgates mais complicados no meio da trilha.

- Peito de Aço: Acessório que proteje as partes dianteiras como barramento de direção e diferencial.

- Pivô esférico: É uma junta flexível, composta de uma bola em um soquete. É mais comumente usado em suspensões porque suporta uma grande variedade de movimentos em duas direções.

- Pneus All Terrain ou AT: Projetados para enfrentar terrenos diversos, como asfalto, terra, areia, neve e lama, com razoável desempenho em cada um deles. Normalmente os utilitários e SUVs saem de fábrica com pneus AT.

- Pneus Mud Terrain ou MT: Projetados para terrenos lamacentos com grande distância entre os gomos de borracha. Não são os mais adequados para trânsito em rodovias e altas velocidades, já que a área de contato com o pavimento é menor.

- Pneus Mud Terrain + Snow ou MS: Projetados para uso rodoviário, com aptidão para terrenos lamacentos de média dificuldade e trechos com neve.

- Positraction: Ou Tração Positiva, é um diferencial que desvia, ou bloqueia, parte do torque da roda que está girando em falso para a outra que tenha alguma tração. Normalmente o índice de bloqueio é de 70%. Algumas pick-ups da Chevrolet como as D-20 e as primeiras S10, vinham equipadas com este sistema. Já a Ford equipa toda a sua linha de pick-ups 4x2 como a F-250 e as Ranger. A Toyota Hilux e o JPX Montez também contam com este recurso.

- Power Train: Esse termo descreve todos os componentes do veículo que produzem potência e a transmitem para as rodas - motor, transmissão, caixa de transmissão, eixo cardã, diferenciais, eixos e cubos de rodas.

- Prancha de desatolagem: Acessório útil para montagem de pontes e criação de terreno firme para passagem dos pneus em atoleiros e areiões. Normalmente feito de aço ou alumínio.

- Profundidade Máxima de Travessia: É a aptidão do veículo em atravessar um trecho alagado, sem que suas partes vitais sofram qualquer infiltração de água ou lama. Nestes casos o mais importante é manter a entrada de ar do motor, livre de qualquer contato com a água ou lama, pois se o motor aspirar água pode sofrer o calço hidráulico.

Q

- Quadra Trac: Equipa a linha Cherokee e é um sistema de tração integral 4x4. Seu sistema de acoplamento viscoso controla o torque para cada um dos diferenciais, e permite o tráfego em marchas reduzidas.

R

- RAID: Modalidade na qual o mais importante é a velocidade média, por tempo, em alguns trechos do trjeto.

- Rally - Prova na qual o trajeto é pré-determinado. Pelo caminho poderão ter obstáculos naturais e os carros serão monitorados por postos de controle, os chamados PCs.

- Rampa Máxima: É a rampa mais inclinada que um 4x4 pode subir sem que o motor engasgue ou sem que tombe de volta para trás. A inclinação varia entre os modelos podendo ir de 30 a 45 graus.

- Real Time: Nome do sistema de tração 4x4 da Honda, que equipa os modelos CR-V. O equipamento detecta automaticamente a necessidade de tração total e engata a tração traseira para auxiliar o eixo dianteiro a movimentar o veículo.

- Roda Livre: É o componente que libera as rodas dianteiras do contato com a transmissão. Com isso ganha-se na economia de combustível e menos desgaste das partes dianteiras, que não são utilizadas em tráfego normal em ruas e estradas com boas condições de trânsito. Existem modelos manuais e automáticos.

S

- Select Traction: Sistema simples de bloqueio, utilizado nos utilitários 4x2 da Gurgel. Baseia-se na utilização dos freios de estacionamento traseiros, que são normalmente acionados por um cabo de aço. O sistema é composto de três alavancas, a principal que freia as duas rodas simultaneamente, e mais duas pequenas, que freiam uma roda de cada vez. Se uma roda fica girando no ar, ou patinando, o condutor puxa o freio desta roda, fazendo ás vezes de um blocante, e o diferencial envia todo o torque para a roda que está em condições de tração.

- Shifting On The Fly: Recurso que equipa grande parte dos SUV atuais, possibilita que se engate a tração 4x4 em velocidades que chegam em alguns modelos, a 130 Km/h. Não confundir com o engate da reduzida (low range), que deve se feita sempre com o veículo parado.

- Shimmy: Trepidação nas rodas dianteiras, que pode ser provocada por inúmeros fatores, como chassis trincado ou entortado, amortecedores gastos ou com defeitos, molas desajustadas ou "cansadas", rodas desbalanceadas, pressão diferente nos pneus dianteiros, câmber ou caster desajustados, caixa de direção com folga.

- Snorkel (tomada de ar elevada): Ou tomada de ar elevada, consiste de um tubo que estende a tomada de ar do filtro do motor em posição a mais elevada possível, protegendo-o da entrada de água em travessias de rios e áreas alagadas. Para os motores a gasolina ou alcool é necessário ainda um bom isolamento da parte elétrica da ignição, coisa que o diesel dispensa.

- SPOA - Spring Over Axle: É um modo de montagem dos eixos rígidos de um 4x4 de tal maneira que as molas semi-elípticas (feixe-de-molas) fiquem acima deles. Em geral os jipes usam SPUA ("SPring Under Axle"), ou seja, os eixos ficam acima da curva das molas. Usa-se SPOA para obter maior altura livre do solo.

- Suspensão Independente: Sistema que possibilita que cada roda tenha seu curso de suspensão independente da outra roda. É a configuração para trânsito em estradas e rodovias em altas velocidades, mas nem sempre é a ideal para o fora de estrada puro já que a altura máxima do solo não é constante.

- SUV: Denominação para Veículo Utilitário Esportivo, ou em inglês "Sport Utility Vehicle".

T

- Tirfor: Equipamento formado por dois ganchos, um cabo, uma catraca e uma alavanca manual. Serve como substituto do guincho para puxar ou destombar o jipe, retirar obstáculos do caminho, etc.

- Tomada de Força: Localiza-se na caixa de transferência de alguns utilitários. É usada para se instalar equipamentos mecânicos diversos como geradores de energia, bombas hidráulicas e o guincho mecânico. Nos Jeeps, Land Rovers e Unimogs antigos a tomada de força era muito usada para se instalar bombas d'água, perfuratrizes, escavadeiras, semeadeiras e outros implementos para uso agrícola ou de serviços em obras.

- Trac-Lock: Tipo de diferencial que distribui automaticamente o torque entre as rodas traseiras, de modo a garantir a melhor condição de aderência em superfícies de baixo atrito, como lama, areia, etc. Sistema utilizado pela Troller e pela Chrysler nos veículos Jeep.

- Tração: É a quantidade de aderência disponível para manter o veículo estável e em movimento.

- Transposição Central: É a aptidão do veículo de transpor um obstáculo, como uma lombada sem que as partes inferiores se choquem com ele. Um veículo com distância entre-eixos pequena, como um Samurai ou um Niva tem mais facilidade para enfrentar esse tipo de obstáculo.

V

- Vau: É a capacidade de passar por região alagada sem preparação especial. Os veículos com motor a diesel, por não possuírem parte elétrica, normalmente podem ser mergulhados até pouco antes da altura da tomada de ar para o motor. Os 4x4 a gasolina são limitados pela altura do distribuidor e velas. Uma boa medida é a altura dos faróis dianteiros. Normalmente o valor "vau" atribuído pelo fabricante se refere ao movimento para frente na velocidade mínima em primeira reduzida e não a um mergulho espetacular a 40 km/h. A altura do escapamento não têm influência nesta medida.

Voltar ao guia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário